A idéia deste blog é ganhar rapidez na divulgação de notícias que apuro para o jornal que dirigo, o JORNAL NOSSA TERRA. Espero sempre ter tempo de atualizá-lo e contar com a sua visita. Boa leitura!

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Agricultura e SINDILAT-RJ estabelecem plano de trabalho para fortalecer produção Láctea no Estado


Proposta é aumentar a viabilidade de laticínios fluminenses frente à concorrência da entrada no mercado de produtos de outros estados

O secretário de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento do Estado do Rio de Janeiro, Eduardo Lopes, acompanhado pelo subsecretário Ramon Neves, receberam na sexta-feira (8) representantes do Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Derivados do Estado do Rio de Janeiro (Sindilat-RJ). O objetivo foi estabelecer um plano de trabalho para o desenvolvimento de ações que impactem positivamente o setor.

_Temos hoje um cenário que favorece indústrias e produtores de leite de fora do estado do Rio de Janeiro. Eles se instalam aqui e aproveitam os benefícios fiscais para lucrar em cima do mercado fluminense, que é muito amplo. O que queremos é proteger as nossas empresas - declarou o secretário.

Durante a reunião foram encaminhadas duas minutas de decreto. Uma delas, para corrigir as distorções em relação ao Riolog (programa de incentivos fiscais) e a outra em relação ao ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre os produtos lácteos e seus derivados.

_O setor de laticínios vem sendo marginalizado nos últimos anos e sofre um alto impacto em relação às políticas fiscais do estado, que não pensam no lado do produtor - afirmou Ramon Neves.

Segundo o presidente do Sindilat, Antônio Carlos Cordeiro, hoje, o consumidor vai ao supermercado e encontra o queijo muçarela por R$ 15 reais o quilo. No entanto, ninguém no estado consegue produzir por este valor.

_ Quando esse queijo vem de Rondônia, Minas Gerais ou de outros estados com preço muito menor, além de não sabermos qual é a sua procedência, que depende muito da fiscalização estadual, inviabiliza o desenvolvimento do nosso setor de laticínios - alertou.

De acordo com o subsecretário Ramon Neves, e expectativa do governo é trabalhar integrado com o setor para destravar os gargalos que impedem o crescimento da cadeia produtiva leiteira no Rio de Janeiro.

_ O governador deixou claro, em seu discurso de posse, a importância do setor agropecuário, pesqueiro e da aquicultura como um dos pilares para a recuperação econômica do estado – enfatizou.


Nenhum comentário: